Eu tenho fibromialgia!!!

EU TENHO FIBROMIALGIA!!!

Este blog é dedicado a tod@s que como eu sofrem de FM.
E para que as demais pessoas possam aprender e compreender o que se passa quando se tem FM.
Gostaria de dizer que nós (portadores da FM) temos uma alma viva... que dentro de nós ainda existe aquela pessoa que gosta de curtir a vida, que gosta de correr, dançar, ir a praia, trabalhar, namorar, viajar...
Mas existe um desanimo que nos domina logo quando acordamos.
E o medo de sentir dor nos limita.Com isso, nos sentimos impotentes para cuidar de nós mesmos. E então vem a depressão. E tudo vira uma bola de neve... dor - medo - impotência - depressão.
Mas quando estamos bem... realmente estamos bem... e sorrimos, cantamos, somos felizes.
Talvez por isso muitas pessoas não compreendam a Fibromialgia.

É isso... sei que não estou sozinha!!!
Ahhhh.... estou lá embaixo no rodapé !!!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Para você isso é só uma imaginação!!!


 Olá pessoal,

Recebi por e-mail, este lindo texto de autoria da amiga de fibra Fernanda.
E também seu comentáario que diz o seguinte: "O texto foi escrito por mim, mas o sentimento  foi impresso em todos nós que sentimos essas dores".
Obrigada amiga... só quem tem, sabe o que é....


Viver com dor 
 Ninguém nunca planeja sua história pensando em vivê-la com dor. Na verdade, a dor é sempre uma intrusa na vida de qualquer pessoa. Ela aparece, irrita, apavora, faz com que se procure ajuda, é tratada e acaba, vai embora... Algumas vezes leva com ela todo o dinheiro que se tinha, mas vai embora.  
Porém existe um grupo nada pequeno de indivíduos que vivencia a dor de forma completamente diferente. Para eles, a dor aparece, irrita, apavora, faz com que se procure ajuda, é tratada, (algumas vezes) melhora, e fica, e aumenta e faz com que se procure socorro, e fica, fica, fica. Simplesmente fica! Fica durante os dias úteis, nos fins de semana, dias santos, período de férias, festas familiares... Fica durante os dias e durante as noites, por vezes até mesmo nos sonhos (para os felizes que conseguem dormir). Fica nos meses quentes e ainda ganha mais força nos meses frios. Fica! 
Então as pessoas que pertencem ao grupo dos comumente doloridos começam a se cansar. Cansar de sentir dores e, o que chega a ser pior, cansar de ter de provar para os outros (familiares, chefias, peritos, e, por mais incrível que pareça, médicos) que sentem dor. Cansados, os doloridos se isolam, trancam-se em suas casas em companhia apenas dessa intrusa mais irritante do que uma mosca em dia de verão. 
Desse ponto em diante, fecha-se o diagnóstico: os doloridos estão deprimidos e tudo o que sentem é psicossomático. Estão doentes porque querem, porque não têm força de vontade para reagir, porque são fracos, se acovardam frente às dificuldades da vida. Entregaram-se e preferem se esconder atrás da dor a ter que enfrentá-la. 
Simples assim! A vítima passa a vilã, a algoz vira esconderijo e os felizardos que têm o privilégio de não saber o que é dormir e acordar, rotineiramente, com dor assumem o papel de juiz. Pronto. Agora que tudo está resolvido, a história continua: O portador da dor crônica sofre diariamente, calado porque muitas vezes não tem forças nem para reclamar, enquanto que os demais sempre que sentem algum incômodo doloroso se irrita, se apavora, procura ajuda, se trata, fica novamente saudável.  
 Diz um ditado popular que “só conhece a quentura da panela a colher que a está mexendo”. A brilhante sabedoria popular se aplica ao tipo de sobrevivência dos que vivem com dor crônica. Só quem sofre na quentura dessa panela consegue entender o mal-humor, a aparente tristeza e impaciência de seus companheiros. Porém, não é preciso que você se torne um de nós para que seja capaz de se solidarizar conosco. Basta que, no dia em que sentir uma dor chata e insistente, você imagine como seria sua vida se ela decidisse viver constantemente ao seu lado, como uma intrusa e insuportável companheira.
 Não gostou de se imaginar nessa situação?
 Não tem problema, para você isso é só uma imaginação...

6 comentários:

  1. Luisa,
    Uma boa dica pra nós: foi o que eu adotei para a minha vida: OCUPE TODO O SEU TEMPO COM TRABALHO, trabalho este que te realize senão não supre suas necessidades .Vocês vão perceber que as dores vão diminuir e muito. Um abração para vocês.
    Angela

    ResponderExcluir
  2. Quando li esse depoimento parecia que estava relatando meu dia a dia, aqui vemos que muitas pessoas sofrem como a gente, é triste saber disso, mas acaba sendo reconfortante, pois sabemos que não estamos completamente só.Peço a Deus muita força, serenidade, paciência, e espero que possamos sobreviver a cada dia com dignidade e pouca dor. Um abraço de algodão doce a todos. Lourieni

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Angela

    você tem razão... ocupar a mente com coisas prazeirosas é melhor que deixar que a fibro dominar tomar conta....

    Beijo em seu coração
    Luisa

    ResponderExcluir
  4. Amiga Louriene

    Este blog é exatamente para isso.. para que possamos sentirmo-nos consoladas e acarinhadas por gente como a gente....

    Abraço de algodão doce pra você também e beijos em seu coração
    Luisa

    ResponderExcluir
  5. Querida Luiza

    É como vc diz, só quem passa por este problema para descrevê-lo.E o pior que para os familiares somos mentirosos, é frescurinha, precisamos de uma ocupação, existem mil definições.Mas na realidade ninguem nos entende, passamos ate por loucos.
    Engolimos um monte de sapos pelos outros,e eles não estão nem aí.
    Mas se Deus quiser vou colocá-los para fora um a um.Bjoss

    ResponderExcluir
  6. Amiga

    Para ter fibromialgia é preciso ter fibra... Porque não é somente um sapo... temos que engolir um brejo inteiro....e sorrindo!!!
    Força aí e abracinho de algodão pra você (pra ser fofo e não machucar...rsrsrs)
    Luisa

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante!
Muito obrigada...