Eu tenho fibromialgia!!!

EU TENHO FIBROMIALGIA!!!

Este blog é dedicado a tod@s que como eu sofrem de FM.
E para que as demais pessoas possam aprender e compreender o que se passa quando se tem FM.
Gostaria de dizer que nós (portadores da FM) temos uma alma viva... que dentro de nós ainda existe aquela pessoa que gosta de curtir a vida, que gosta de correr, dançar, ir a praia, trabalhar, namorar, viajar...
Mas existe um desanimo que nos domina logo quando acordamos.
E o medo de sentir dor nos limita.Com isso, nos sentimos impotentes para cuidar de nós mesmos. E então vem a depressão. E tudo vira uma bola de neve... dor - medo - impotência - depressão.
Mas quando estamos bem... realmente estamos bem... e sorrimos, cantamos, somos felizes.
Talvez por isso muitas pessoas não compreendam a Fibromialgia.

É isso... sei que não estou sozinha!!!
Ahhhh.... estou lá embaixo no rodapé !!!

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Fitoterapia / Valeriana officinalis

Olá pessoal,  
 
Este post não tem a pretensão de julgar a fitoterapia e nem a Valeriana, mas, mostrar aos leitores deste blog, minha pesquisa, para que possam fazer seus próprios julgamentos e alertar aos fibromialgicos sobre uma grande corrida a esta alternativa como possível meio de alívio ou melhora (até mesmo cura) para sintomas da FM. Digo isso porque visitando uma rede social de portadores de fibromialgia, vi que muitos postaram sobre esse assunto, inclusive, dizendo-se adeptos dessa medicina alternativa e indicando a outros. Por favor, NÃO SE AUTO MEDIQUEM, converssem com seus médicos, especulem a vantagem ou não do uso de alternativos. A fibromialgia ainda é uma doença em estudo - ou seja - tudo é relativo. Portanto leiam com atenção...  (sei que é longo, mas vale a pena)
 
Fitoterapia
 
Do grego - Tratamento (therapeia) Vegetal (Phyton), ou ainda "A terapêutica das doenças através das plantas".  A fitoterapia, apesar de ser erroneamente considerada por muitos como uma terapia alternativa, não é uma especialidade médica e faz parte do arsenal terapêutico habitualmente utilizado. Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças. Ela surgiu independentemente na maioria dos povos. Na China, surgiu por volta de 3000 a.C. quando o imperador Cho-Chin-Kei descreveu as propriedades do Ginseng e da Cânfora.
 
Vantagens e riscos
 
Há uma grande quantidade de plantas medicinais, em todas as partes do mundo, utilizadas há milhares de anos para o tratamento de doenças, através de mecanismos na maioria das vezes desconhecidos. O estudo desses mecanismos e o isolamento do princípio ativo (a substância ou conjunto delas que é responsável pelos efeitos terapêuticos) da planta é uma das principais prioridades da farmacologia.Enquanto o princípio ativo não é isolado, as plantas medicinais são utilizadas de forma caseira, principalmente através de chás, ultradiluições, ou de forma industrializada, com extrato homogêneo da planta. Ao contrário da crença popular, o uso de plantas medicinais não é isento de risco. Além do princípio ativo terapêutico, a mesma planta pode conter outras substâncias tóxicas, a grande quantidade de substâncias diferentes pode induzir a reação alérgica, pode haver contaminação por agrotóxicos ou por metais pesados e interação com outras medicações, levando a danos à saúde e até predisposição a câncer. Além disso, todo princípio ativo terapêutico é benéfico dentro de um intervalo de quantidade - abaixo dessa quantidade, é inócuo e acima disso passa a ser tóxico. A variação de concentração do princípio ativo em chás pode ser muito grande, tornando praticamente impossível atingir a faixa terapêutica com segurança em algumas plantas aonde essa faixa é mais estreita. Na forma industrializada, o risco de contaminações pode ser reduzida através do controle de qualidade da matéria prima, mas mesmo assim a variação na concentração do princípio ativo em cápsulas pode variar até em 100%. Nas ultradiluições, como na homeopatia, aonde não há virtualmente o princípio ativo na apresentação final, não há nenhum desses riscos anteriores, mas a eficácia desse tratamento não foi comprovada cientificamente.À medida em que os princípios ativos, são descobertos, os mesmos são isolados, refinados de modo a eliminar agentes tóxicos e contaminações e as doses terapêutica e tóxica são bem estabelecidas, de modo a determinar de forma precisa a faixa terapêutica e as interações desse fármaco com os demais. No entanto, o isolamento e refino de princípios ativos também não é isento de riscos. Primeiro porque pretende substituir o conhecimento popular tradicional e livre, testado há milênios, por resultados provindos de algumas pesquisas analítico-científicas que muitas vezes são antagônicas. Segundo, porque a simples idéia de extrair princípios ativos despreza os muitos outros elementos existentes na planta que, em estado natural, mantêm suas exatas proporções. Assim sendo, o uso de fitoterápicos de laboratório poderia introduzir novos efeitos colaterais ou adversos inesperados, devidos à ausência de [sinergia|sinergismo] ou antagonismo parcial entre mais de um princípio ativo que apenas seriam encontrados na planta.
 
Fonte: pt.wikipedia.org
 
Usos e abusos da fitoterapia
 
Quando utilizados de maneira adequada, os fitoterápicos apresentam efeitos terapêuticos, às vezes, superiores aos dos medicamentos convencionais, com efeitos colaterais minimizados. Um exemplo é a valeriana (Valeriana officinalis) que vem sendo usada no tratamento de insônia e que, ao contrário dos medicamentos convencionais, não provoca dependência nem tolerância. No entanto, se ingerida em grandes quantidades e por tempo prolongado, ela pode ser tóxica para o fígado.A utilização inadequada dos fitoterápicos, como a automedicação, pode trazer uma série de efeitos colaterais. Entre os principais problemas causados por seu uso indiscriminado e prolongado estão as reações alérgicas, os efeitos tóxicos graves em vários órgãos e mesmo o desenvolvimento de certos tipos de câncer. Elisaldo Carlini, pesquisador da Unifesp, chama a atenção para a importância de educar a população, conscientizando-a sobre o uso adequado das plantas e medicamentos ditos naturais.
 
Créditos:
Reportagem: Célio Lopes Silva, Débora Colombi,Izabel Machado,Luciana Christante de Mello e Solange Celere. Colaborou: Patrícia Logullo 
 
 
Cuidado com os fitoterápicos
28 de junho de 2007
 
É necessário cautela na utilização de fitoterápicos.
A utilização inadequada de plantas, pode trazer uma série de efeitos colaterais.
Entre os principais problemas causados pelo uso indiscriminado e prolongado dos fitoterápicos estão as reações alérgicas, os efeitos tóxicos graves em vários órgãos e mesmo o desenvolvimento de certos tipos de câncer.Quando as pessoas compram plantas para uso medicinal não levam em consideração que algumas plantas são tóxicas e, quando ingeridas, prejudicam a saúde. Crenças populares de que as plantas não fazem mal, não é verdade como um todo.  Plantas como, por exemplo, a “comigo ninguém pode” é extremamente tóxica e pode matar.
Um exemplo de fitoterápico, que se deve tomar cuidado, é a Valeriana (Valeriana Officinalis) usada no tratamento de insônia. Esse fitoterápico, ao contrário dos medicamentos convencionais, não provoca dependência nem tolerância,  contudo se ingerido em excesso por um longo período pode ser tóxico para o fígado. A automedicação, relacionada a medicamentos fitoterápicos, é um grande problema, pois as pessoas desconhecem que a quantidade de princípios ativos contidos nas plantas pode variar de acordo com a idade da planta, a época da colheita, o tipo de solo, a parte utilizada e as condições de estocagem. Além disso, algumas plantas podem apresentar concentração elevada de metais como chumbo, zinco e alumínio, entre outros, cujos efeitos são prejudiciais à saúde.
 
Créditos:
Redação Bem de Saúde
 
 
Valeriana (Valeriana officinalis)
 
Descrição
Valeriana é uma planta perene, sendo bastante resistente a condições climáticas adversas, podendo atingir entre 1 e 1,5 metros de altura. Encontrada nativamente na Europa e região norte da Ásia, e regiões de clima temperado. Suas flores são pequenas e numerosas, de coloração branca ou rosada e roxa, que exalam forte aroma adocicado e peculiar. As partes utilizadas para fins terapêuticos são sua raíz e rizoma.
 
Indicações
A Valeriana é principalmente indicada para problemas de insônia, para melhoria da qualidade do sono.
Possui efeito tranquilizante, sedativo, relaxante, reduz a pressão sangüínea, combate problemas de ansiedade, estresse e palpitações cardíacas de origem nervosa. Estudos científicos comprovam a eficácia da Valeriana no tratamento da insônia e diminuição da ansiedade.
 
Créditos:
Pesquisa na internet (páginas web diversas)
 
 
Valeriana - Valeriana officinalis
 
Princípios Ativos: ésteres acéticos, fórmico, mucilagem, goma, resina, entre outros.
Azeite essencial (0,3-1%): ésteres terpênicos (isovalerianato, acetato e formiato de bornilo,
isovalerianato de eugenilo e isoeugenilo; monoterpenos (canfeno, pineno), sesquiterpenos (beta-cariofileno, valerenal, valeranona), ésteres epoxiiridoides (valepotriatos: valtrato (80%), isovaltrato, dihidrovaltrato). Acido gamma-aminobutírico (GABA), glutamina, arginina. Traços de alcalóides (0,05-0,1%).
Ação Farmacológica: Embora existam numerosos estudos farmacológicos e clínicos sobre o efeito sedante da raíz de valeriana, ainda não se conhecem bem os princípios ativos nem o seu modo de ação. Se atribue ao sinergismo entre o azeite essencial e os valepotriatos sua ação tranquilizante, hipnótica, espasmolítica, relaxante muscular, ligeramente hipotensora e anticonvulsivante.
Partes Usadas: rizoma e raiz.
Uso Popular:
ansiedade, insônia, irritabilidade, perturbações nervosa, stress, efeito semelhante ao da imipramina;
fadiga; taquicardia, hipertensão arterial;cefaléias;síndrome do intestino irritável, espasmos gastrointestinais, gastralgias, gases;mialgias, contraturas musculares;dismenorréia, transtornos associados ao climatério;
asma e broncoespasmos de origem nervoso;coadjuvante no tratamento das convulsões infantis e epilepsia;
atividade antiespasmódica;dermatoses pruriginosas;
Contra-indicações: Evitar o uso durante a gravidez, a lactação e em crianças menores de 3 anos.
 
Créditos:
 
 
Ansiedade
 
Valeriana: Uma erva tranquilizante segura e que não causa dependência cuja eficiência no tratamento de desordens da ansiedade já foi comprovada. A valeriana funciona especialmente bem em combinação com o maracujá. Ela pode causar sonolência.A valeriana é provavelmente o fitoterápico mais usado na Europa para a tensão nervosa, ansiedade e insônia.Na verdade, está presente em dúzias de formulações e chás.
Interessantemente, a valeriana é calmante e relaxante nos casos de tensão nervosa e ansiedade, enquanto que, ao mesmo tempo, melhora o estado de alerta e a concentração. É importante saber que o consumo excessivo de valeriana quando fatigado pode ter efeito estimulante.A valeriana parece ser o medicamento ideal para a família estressada moderna.
 
Créditos:
Prof. Dr. José de Felippe Junior
 
Até o próximo post
Bjs
 

6 comentários:

  1. Olá
    Estou utilizando a Valeriana a 1 ano e 7 meses aproximadamente. Os sintomas da fibromialgia foram suminda gradativamente. Não tive nenhuma reação. Seria interessante que algum pesquisador fizesse um estudo com este medicamento para podermos nos beneficiar e se existir alguma contra indicação ou reação adversa sabermos.
    No meu caso e para a médica que conheci e que também utiliza, não houve problema algum, mas cada pessoa pode reagir de uma maneira. O ideal é consultar um homeopata.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!! Você utiliza só a valeriana?!?! E como homeopatia!??!

      Estou meio desacreditada nos meios quimicos normais, gostaria de tentar coisas novas!

      Abraços

      Regina

      Excluir
  2. Obrigada pelo comentário... e condordo plenamente, nada deve ser tomado sem a ciência do médico.
    Como eu disse, eu fiz este post devido a quantidade de pessoas que se auto medicam e por ter visto em uma rede social que as pessoas indicam Valeriane e inclusive a quantidade que deve ser tomada. E nem sempre o que é bom para uns é bom para outros. A Valeriana tem seus pros mas também tem seus contras se tomada em excesso.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Dr. Alexandre...

    Vi seu comentario em outra postagem...
    Muito obrigada
    Sua visita abrilhanta e muito este blog.

    Um prazer te-lo conosco. Volte sempre!!

    Luisa

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante!
Muito obrigada...