Eu tenho fibromialgia!!!

EU TENHO FIBROMIALGIA!!!

Este blog é dedicado a tod@s que como eu sofrem de FM.
E para que as demais pessoas possam aprender e compreender o que se passa quando se tem FM.
Gostaria de dizer que nós (portadores da FM) temos uma alma viva... que dentro de nós ainda existe aquela pessoa que gosta de curtir a vida, que gosta de correr, dançar, ir a praia, trabalhar, namorar, viajar...
Mas existe um desanimo que nos domina logo quando acordamos.
E o medo de sentir dor nos limita.Com isso, nos sentimos impotentes para cuidar de nós mesmos. E então vem a depressão. E tudo vira uma bola de neve... dor - medo - impotência - depressão.
Mas quando estamos bem... realmente estamos bem... e sorrimos, cantamos, somos felizes.
Talvez por isso muitas pessoas não compreendam a Fibromialgia.

É isso... sei que não estou sozinha!!!
Ahhhh.... estou lá embaixo no rodapé !!!

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Não se compare a ninguém...

Comparar-se com outras pessoas que tem a mesma doença pode repercutir  na saúde de um  paciente, piorando ou melhorando sua situação física e mental em função de cada caso, segundo um estudo, que revisou pesquisas nesse campo, e que foram  recolhidas no Health Psychology Review.
Este fenômeno  é muito freqüente.
“Quando estamos inseguros, podemos reduzir nossos medos vendo como estão os outros”, assegura Josh Smyth, professor de Medicina na Universidade de Penn State (USA). Em geral, assinala, as pessoas que padecem de dores crônicas são especialmente mais propensas a se comparar com outras que padecem da mesma doença.

Sentimentos positivos

Na revisão dos estudos realizados em  torno a esta questão, os pesquisadores  da Universidade Syracuse y da de  Iowa, ambas nos Estados Unidos, observaram  que as pessoas que se comparavam com  outras que estavam pior que elas, se animavam mais que os que se fixavam nos que se encontravam melhor. Desta maneira, estes tipos de comparações costumam associar com sentimentos positivos, como o alivio e o conforto. Não obstante, existem estudos que diferem destes resultados, posto que revelam que as pessoas que se comparam com seus superiores podem experimentar depois de certo otimismo que as anima a superar-se. «Alguém que faz algo melhor que você, pode ser uma fonte de inspiração ou de depressão. Alguém que está fazendo  mal alguma coisa, pode te dar um pouco de alívio ou te fazer pensar que sua situação vai piorar no futuro», afirmou Danielle Arigo, de da Universidade Syracuse.

Fonte: ABC Salud  (Madrid 10/2/12)

(tradução libre by Luisa)

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

A Fibromialgia - Manual prático para o doente – I Parte (Rui Leitão)

Olá amig@s de fibra:

Mais uma excelente garimpagem virtual para dividir com vocês...
É de Portugal o médico citado.
Considero muito importante a leitura deste texto que está em pdf e por ser grande, deixaria o post muito extenso e pesado.
Recomendo com louvor a leitura do texto em questão. Acrescenta algumas coisas além das que nós já sabemos.
Vamos lá minha gente.... colocando a leitura em dia..... !!!!

Depois voltem ao post e coloquem os comentários que quiserem sobre o texto....



A Fibromialgia - Manual prático para o doente – I Parte

Dr. Rui Leitão
Assistente Hospitalar de Reumatologia do IPR


http://www.myos.pt/downloads/artigos/artmed_Fibromialgia_RLeitao_1.pdf


O autor agradece a Aventis Pharma a autorização concedida para a
publicação deste artigo, originalmente concebido para integrar a secção
de Educação do Doente do site oficial da Companhia (
www.aventispharma.
pt), onde pode ser realizado o seu «download».


Beijos
Luisa

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Feliz Carnaval a tod@s!!




É CARNAVAL!!!


Isso aí pessoal, bom carnaval para todos.
Quem é de viajar, que passeie bastante...
Quem é de ficar em casa, que descanse muito...
Quem é da folia, que curta de montão...


Para nos do "Bloco do ConDor Unidos pela FM" ,vamos aproveitar o carnaval para tentar ser felizes.

Rindo do que seja,
Admirando a beleza das Escolas,
Indo na praça ver a banda passar,
Vamos esquecer a tristeza (e as dores) por 4 dias....

Vamos dar a volta por cima
Vamos sacudir a poeira e deixar pra lamentar na 4a. feira de cinzas....
Permitamo-nos cometer excessos,
Deixemos nos contagiar pela alegria
Pelo colorido das fantasias

Astral lá em cima!!
Vamos desfilar as esperanças
Vamos driblar a dor nem que seja a poder dos nossos remedinhos
Mas não vamos deixar a peteca cair não
Vamos à praia, sal e iodo ajudam muito...
Vamos colocar a fantasia daquilo que fomos um dia e dar um "BASTA" na FM.
Nós podemos.... !!!

Não vamos deixar o samba atravessar na nossa Avenida
É muito cedo pra começar a lamentar
Ânimo, meninas e meninos...
Nosso bloco vai ser campeão
E só depende de nós!!!!!

Beijos e até breve

Luisa


domingo, 12 de fevereiro de 2012

Gosto de gente assim!!!

 
Gosto de gente com a cabeça no lugar, de conteúdo interno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade. Gosto de gente que ri, chora, se emociona com uma simples carta, um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago. Gente que ama e curte saudades, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais. Admira paisagens, poeira; e escuta. Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras, compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si, emoções que fluem naturalmente de dentro de seu ser! Gente que gosta de fazer as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam. Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto. Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos. Com muito Amor dentro de si. Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes, tirando lições dos erros e fazendo redentora suas lágrimas e sofrimentos. Gosto muito de gente assim... e desconfio que é deste tipo de gente que DEUS também gosta!
(Arthur da Távola)
 
 
Vi este texto na internet e gostei muito....
E achei legal compartilhar.
Tudo o que nos move positivamente para o amor é válido.
Beijos
Luisa

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Eu quero, eu posso! (é só fibromialgia)

Olá minhas queridas amigas de FM (e aos amigos também) e as que não são de FM mas que me acompanham...
Hoje não vou postar nenhuma descoberta, nenhuma novidade.
Vou postar sobre como estou driblando a FM e como estou conseguindo dominar "amiga inseparável" que me atormenta dia e noite.



Há quatro meses, quando não tive outra opção a não ser retornar ao meu trabalho, fiquei apavorada. Não sabia como meu corpo reagiria à nova rotina. Estava acostumada a ficar em casa e só saía para médicos e terapias.
Logo na primeira semana tive uma crise em pleno expediente. As dores vieram com força total e tive que tomar meu remedinho SOS para conseguir me mexer.
Na semana seguinte, não consegui controlar as dores e tive que ficar quatro dias sem ir trabalhar para me recuperar.
Na terceira semana, nova crise, em pleno expediente. E começou o desespero. Como fazer isso parar?? Eu preciso trabalhar.
Não posso me dar ao luxo de pedir demissão, porque ninguém vive de brisa não é?
Eu tenho um filho ainda estudando (fazendo faculdade, para meu orgulho) e eu  preciso do meu salário para manter a casa. Como sou sozinha, nós dois dependemos de mim para nosso sustento.
Além disso, tenho minha mãe com idade avançada e por conta de sérios danos na coluna está proibida pelos médicos de fazer qualquer esforço e de andar sozinha.
Isso significa que depende de mim para tudo, porque sou a que mora ao lado dela.
Então comecei a refletir... E muito.... Muito mesmo...
E encherguei que eu só declinei das minhas forças e da minha vontade de viver, justamente porque fui diagnosticada de fibromialgia.
Isso mesmo... EU DEIXEI A FIBROMIALGIA TOMAR CONTA DE MIM.
Resolvi então reverter o quadro.
Poxa, dor é dor... Dói mas não mata... Limita mas não deforma. Desanima e deprime justamente porque nos disseram que é “PARA SEMPRE – SEM CURA”
Ora bolas, ninguém gosta de saber que vai ter dor a vida toda... Sem chance de cura. E isso derruba a gente. Coloca a gente em uma posição de vítima da sorte.
Mas eu resolvi mudar tudo isso.
Imaginei se ao invés de FM, fosse um câncer. Eu lutaria pela vida, lógico!!!
Imaginei se ao invés da FM, eu tivesse ficado paralítica, eu me apegaria a todas as possibilidades de locomoção, seria cadeirante!!!
Imaginei se ao invés da FM, eu tivesse ficado totalmente inerte em uma cama, dependendo de todos para tudo, aí o que eu faria?? Talvez pedisse a Deus para me levar porque, sinceramente, isso não é vida!!
E dei graças a Deus, porque eu tenho apenas FM.
Isso mesmo. Eu agradeci minha saúde física. Agradeci minhas pernas e meus braços, agradeci porque acordo todo dia e mesmo com dor, posso me levantar.
Dor?? Sim tenho... Muitas dores, o corpo todo dói. Dia e noite.
Mas eu resolvi não dar muita atenção às dores.  Elas não vão me impedir de viver não.
Acho que nem me lembro mais como era antes de sentir dor. Não me lembro o que é não sentir dor. Mas me lembro muito bem de quem eu era.
Eu era uma pessoa feliz. De bem com a vida. Gostava de sorrir e de fazer bagunça feito criança. Brincava com todos. Era o ombro amigo dos que precisavam.
E o que aconteceu comigo? EU ME DEIXEI MORRER!!!!
Por causa de um diagnóstico, eu me matei. Matei aquela pessoa alegre que existia e tranquei meu corpo dentro de casa.
Me transformei em uma pessoa amarga, deprimida, sem ilusões e passei a pensar só em dor, em doença, em fracasso, em uma chata de galocha.
E foi essa pessoa que teve que voltar a trabalhar. De mau humor, rancorosa, me sentindo a última das pessoas.
Mas esse retorno ao trabalho me trouxe à vida novamente.
Eu descobri que posso conviver com a dor. Aumentei a dosagem dos remédios para a dor, mas por outro lado, parei de tomar remédio para a depressão.
Eu estou recuperando minha auto-estima.
Estou me sentindo viva. Estou vendo gente. Falando com gente. Interagindo.
E isso está me fazendo um bem enorme para a alma.
Aquela pessoa que eu matei, está ressuscitando. Estou sentindo que estou voltando.
E cada dia acontece uma coisinha pra me mostrar isso.
Semana passada, tive que ajudar um rapaz na rua. Um desconhecido.  Haviam  muitas pessoas ao redor dele, mas ele estendeu a mão para mim. Pediu minha ajuda. Ele estava passando mal e quase desmaiou ali, na minha frente.
A primeira coisa que pensei foi: Não posso ajudar, tenho FM. Mas depois me dei conta que se a gente pensar na dor dos outros e focar menos na nossa, tudo fica tão mais fácil.
Não me lembro de ter sentido dor naquele instante. Foquei no rapaz ali, pálido, desfalecendo e esticando a mão pra mim... Justo pra mim... Esqueci tudo e fui socorrer.
Olha, isso me fez um bem enorme. Ele nem sabe o quanto foi ele quem me ajudou.
Ele me agradeceu timidamente, mas sou eu quem tem muito que agradecer. Eu consegui. Fui capaz de estender minha mão. Fui capaz de esquecer de mim e pensar que existem pessoas que precisam de mim.
No meu trabalho também. Não sou insubstituível, se eu sair, em seguida contratarão alguém pro meu lugar. Mas enquanto eu estiver ali, serei útil, formarei parte de uma equipe. Serei alguém produtivo.
E minha conclusão foi esta: A FM é real, ela dói demais da conta, mas a gente precisa encontrar uma maneira de driblar ela. A gente precisa focar em outras coisas.
A gente precisa encontrar um ponto de equilíbrio para deixar de ser uma pessoa melancólica e triste para ser uma pessoa de bem com a vida apesar das dores.
Eu continuo sentindo dores. Levantar da cama as vezes me desanima, mas logo eu penso que eu preciso fazer isso para viver bem.
De noite, o cansaço é incontrolável e eu me deito e durmo sem remédio pra dormir, porque passei o dia inteiro me movimentando.
Tem dias que o astral baixa, mas eu procuro pensar em coisas positivas. Procuro pensar em como é bom sorrir, viver, dançar, e principalmente voltar a ser FELIZ !!! 

Espero que cada uma de vocês consiga encontrar seu ponto de equilíbrio.
E que mesmo apesar das dores, consigam driblar essa coisinha chamada FM.
Nossa força não está nos músculos, está no cérebro.
Cheguei a conclusão que basta querer. Seu eu quero eu posso.
EU QUERO SUPLANTAR MINHAS DORES, PORQUE EU QUERO VOLTAR A SER EU!!!!!
Então eu POSSO!!!

Beijos !!