Eu tenho fibromialgia!!!

EU TENHO FIBROMIALGIA!!!

Este blog é dedicado a tod@s que como eu sofrem de FM.
E para que as demais pessoas possam aprender e compreender o que se passa quando se tem FM.
Gostaria de dizer que nós (portadores da FM) temos uma alma viva... que dentro de nós ainda existe aquela pessoa que gosta de curtir a vida, que gosta de correr, dançar, ir a praia, trabalhar, namorar, viajar...
Mas existe um desanimo que nos domina logo quando acordamos.
E o medo de sentir dor nos limita.Com isso, nos sentimos impotentes para cuidar de nós mesmos. E então vem a depressão. E tudo vira uma bola de neve... dor - medo - impotência - depressão.
Mas quando estamos bem... realmente estamos bem... e sorrimos, cantamos, somos felizes.
Talvez por isso muitas pessoas não compreendam a Fibromialgia.

É isso... sei que não estou sozinha!!!
Ahhhh.... estou lá embaixo no rodapé !!!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

DIA 12 DE SETEMBRO - O RIO DE JANEIRO VAI DIZER "SIM"

Olá à todos os visitantes  (especialmente os cariocas)
 
 
Estou tentando organizar uma mobilização dos fibromialgicos aqui no Rio de Janeiro, para o dia 12 de setembro, quando se dará uma mobilização a nivel mundial. A ideia vem da Espanha, mas vários paises da America do Sul, já aderiram (Lima no Peru já teve sua 1ª manifestação, e soube que fibromialgicos do Uruguai e da Argentina, também começaram a se unir em prol do dia 12).
A principio acho que no centro do Rio de Janeiro, talvez, na Cinelandia- nas escadas do Teatro Municipal, que é sempre palco de todas as reivindicações.
Primeiro preciso que todas as que possam ir, ou se não puderem, por conta das dores, que possam mandar ao menos 1 pessoa (se mais de 1 melhor) entrem em contado comigo por e-mail mlrr63@gmail.com. que é o mail deste blog), para que eu possa começar a organizar o evento...
Mesmo que sejamos poucas pessoas no início, o importante é começar a chamar a atenção das pessoas para essa doença, sensibilizar autoridades e quem sabe (isso seria um sonho...) formar uma Associação que lute pelos nossos direitos de cidadãs.
Quem tem dor tem pressa...
Conto com vocês. Vamos nos unir aqui no Rio....
 
E por favor, quem não for do RJ, divulgue...passe a ideia adiante... tente juntar pessoas na sua cidade, para ser mais um lugar desse Brasil a dizer SIM !!!
 
Beijos a todos
Luisa

sábado, 25 de junho de 2011

A Fibromialgia nos Homens

Dedido este post aos amigos do sexo masculino, portadores de fibromialgia ... (Vocês não estão sozinhos - nós mulheres somos solidárias, porque dor será sempre dor, independente de sexo, raça e cor)
      

Em todos os países em que se estudou a freqüência da fibromialgia (FM) na população, as mulheres sempre são mais afetadas, por motivos ainda não totalmente conhecidos, mas que já foram discutidos em outro editorial.
Não existem muitos estudos realizados com homens portadores de FM, e uma dificuldade adicional neste aspecto consiste no fato de que muitas vezes os homens com FM são excluídos de estudos com medicações, a fim de que se tenha uma população mais homogênea.
Os homens com FM apresentam-se de maneira geral mais tarde ao médico, e o diagnóstico é feito também de maneira mais atrasada. O grande motivo deste atraso é ainda a dificuldade do médico pensar em FM quando atende um paciente do sexo masculino. Mesmo que o diagnóstico de FM seja suspeitado já no começo, muitas vezes torna-se obrigatória uma investigação mais aprofundada, na busca de diagnósticos diferenciais.
Parece não haver uma diferença na maneira de apresentação dos pacientes homens com FM em comparação com as pacientes do sexo feminino, principalmente em relação às queixas básicas de dor difusa, alterações do sono e fadiga.
Recentemente, um grupo de médicos da Espanha publicou uma avaliação de pacientes masculinos com FM, e demonstrou que pacientes homens com fibromialgia apresentam uma maior chance de estarem afastados do trabalho, uma percepção mais negativa de sua saúde e uma porcentagem maior de história de problemas psiquiátricos em comparação com mulheres com FM. Este fato muitas vezes é observado na prática diária. Vários especialistas em FM comentam que é um pouco mais difícil a abordagem de pacientes homens com FM.
Parece-nos que o impacto da FM é grande no homem, pois dele sempre se espera um papel de principal provedor de sustento da família, e também de “ser forte” e não de não reclamar sobre problemas de saúde. A FM quebra este paradigma, levando a um sofrimento adicional.
Não há diferenças de tratamento para a FM em homens, embora um estudo (com a Duloxetina) demonstrou que pacientes do sexo masculino não respondem bem a este medicamento. A atividade física, a melhora do sono, o controle da dor e o manejo do componente psicológico devem sempre ser realizadas em conjunto para o alívio dos sintomas, enquanto estudos mais aprofundados sobre o manejo da FM em homens não são publicados.

Crédito: http://www.fibromialgia.com.br
Eduardo S. Paiva
Chefe do ambulatório de fibromialgia do Hospital de Clínicas, UFPR

sexta-feira, 24 de junho de 2011

FIBROMIALGIA - empieza a entender el síndrome!

Olá pessoal...

Aqui vai mais um post de um blog muito interessante.
Este post está em espanhol, mas o blog é em portugues.
Vale a pena dar uma olhadinha.
Agradeço ao Dr. Alexandre H. Eller pela excelente postagem.

FIBROMIALGIA: empieza a entender el síndrome!
 
La fibromialgia se caracteriza por dolor crónico generalizado afectando a los músculos, huesos, articulaciones y tendones. El patrón complejo y difuso de este síndrome sugiere que los mecanismos neurofisiológicos implicados central están cambiando la modulación de la nocicepción y el dolor.Además de la disfunción del sistema nervioso central, muscular, y cambios histológicos se observan en los puntos de dolor del cuerpo diferentes. En estos hay más rutas y las fibras del músculo contraído, lo que lleva a la debilidad muscular y alteración de la microcirculación. Esto provoca isquemia tisular e hipoxia, perpetuando el ciclo de dolor.El control de los síntomas es difícil. Sólo el 5% de los pacientes logran una regresión completa de los datos por más de 3 meses. A menudo, el tratamiento farmacológico debe ser extendido. Sin embargo, puede haber una gran mejoría y la recuperación cuando hay un tratamiento adecuado, la rehabilitación de los hábitos individuales y la promoción de estilos de vida saludables y una buena nutrición y ejercicio alternado períodos regulares de sueño y descanso adecuados.La fibromialgia afecta a más mujeres (7:1) y llega a los 2 y el 6% de la población. Se inicia en la tercera década de la vida, pero es más común entre los 40 y 50 años. Se estima que la incidencia puede ser aún mayor debido a las dificultades en el diagnóstico y recopilación de datos precisos sobre la enfermedad.Los síntomasLos síntomas más comunes son: dolor muscular difuso, los puntos sensibles (tender points), dolor articular, rigidez matinal, dolor de cabeza, entumecimiento, hormigueo, ansiedad, calambres, depresión, irritabilidad, insomnio, nerviosismo, alteraciones del sueño, deterioro de la memoria, las piernas intolerancia cansado, el calor, la apnea del sueño y dificultad para concetração.La fibromialgia sigue siendo a menudo asociado con la migraña, la cefalea tensional, trastornos temporomandibulares, boca seca, síndrome de colon irritable, sequedad de boca, dismenorrea y fatiga crónica.Otras quejas son aún frecuentes: formigmento y adormecimiento de partes del cuerpo, dificultades auditivas, visuales y nistagmo vestibular, síntomas genitourinarios, congestión nasal y palpitaciones. Sin embargo, el mayor número de síntomas no está directamente asociado con la severidad de la fibromialgia.La disminución en la fuerza muscular funcional, la amplitud de movimiento y la capacidad aeróbica son otras características importantes del síndrome de fibromialgia.Los criterios requeridos para el diagnóstico:Presencia de generelizada ternura;Dolor o rigidez en los puntos del cuerpo (3 o más);Duración de 3 meses;Ausencia de patologías clínicas o lesiones traumáticas que causan el dolor.Algunos autores abogan por la presencia de al menos 12 puntos sensibles para el diagnóstico de la fibromialgia.Desde el Colegio Americano de Reumatología criterios sigue el siguiente a partir de 1990:Y dolor bilateral difusa por todo el cuerpo;Presencia de 11 de los 18 puntos sensibles a la palpación o el uso de algómetro (4Kg/cm2).Utilizando estos criterios da el diagnóstico clínico y el 88% de sensibilidad y 85% específica para la fibromialgia.A raíz de una figura ilustrativa de los puntos sensibles utilizados en el diagnóstico:InvestigacionesEl diagnóstico de la fibromialgia es fundamentalmente clínico. Los exámenes se realizan generalmente para excluir otras causas de dolor. El Eletroencelafograma puede mostrar el sueño alfa-delta ("No sueño reaparador").Hay factores que están asociados, precipitar o atenuar la enfermedad. Ellos son:Los factores asociadosTrastornos del sueño, fatiga, depresión, inactividad, hábito postural, factores ambientales, el dolor miofascial.Precipitar o agravar los factoresInfección, sueño no reparador, la actividad física excesiva, sobrecarga muscular, factores emocionales y los largos períodos en posturas incómodas.Factores atenuantesCaliente, dormir seco, refrescante, baños calientes, la actividad física moderada, que se extiende.Diagnóstico diferencialSiempre es importante para descartar enfermedades frecuentemente causan dolor y, a menudo concomitante con la fibromialgia. Por ejemplo:La artritis inflamatoria;Enfermedades de las articulaciones;Hipertiroidismo;Depresión;Hiperparatiroidismo;Polimialgia reumática;Multifocal tendinitis.TratamientosMúltiples modalidades terapéuticas son necesarias. A menudo, la asociación de diferentes tipos de analgésicos con la acupuntura, la terapia de puntos gatillo, fisioterapia, ejercicio y cambios en el estilo de vida. Control de la predisposición o agravar la fibromialgia es fundamental para ver los mejores resultados clínicos.Además de aliviar el dolor, debe tener como objetivo la recuperación funcional del paciente, la promoción de la salud mental y la corrección de los trastornos del sueño y el humor. Los antidepresivos, relajantes musculares, anestésicos y anticovulsivantes (local o sitema) son los grupos de fármacos más comunes de este síndrome.La terapia cognitiva conductual puede ser muy útil en los casos en que debe ser el componente emocional del dolor controlado.Técnicas de meditación y relajación, terapia de masaje y la psicoterapia son adyuvante demostrado su utilidad en el control y manejo de los síndromes de dolor crónico. Sin embargo, su uso sólo en estos cuadros no es muy eficaz plazo largo o corto."Antes de iniciar cualquier tratamiento, busque atención médica. Sólo él puede hacer el diagnóstico de la fibromialgia"Referencia bibliográficaSakata RK, Issy AM, Dor-Guía para pacientes ambulatorios y de hospitalización de Medicina, UNIFESP-EPM, 2 ª Ed., 2008.
Graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Médico do Centro Médico da Coluna Vertebral. Especialista Diplomado pela Febrasgo. Membro Ativo do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura.

Gigi e Gabi



Olá pessoal...

Fiquei sabendo da historia destas duas meninas e fiquei muito comovida, por isso, fiz este post com a intenção de contribuir para a divulgação do blog delas.

Muita luz e fe para essas super mães que estão unidas pela vida de suas filhas.

http://www.unidaspelavida.com/

Essas meninas são anjinhos de Deus... lindas e tão novinhas para tanta provação...

Por favor.... ajudem a divulgar... quem sabe alguma empresa não se interessa no patrocínio para essas crianças poderem continuar o tratamento.

Até breve
Luisa

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Fitoterapia / Valeriana officinalis

Olá pessoal,  
 
Este post não tem a pretensão de julgar a fitoterapia e nem a Valeriana, mas, mostrar aos leitores deste blog, minha pesquisa, para que possam fazer seus próprios julgamentos e alertar aos fibromialgicos sobre uma grande corrida a esta alternativa como possível meio de alívio ou melhora (até mesmo cura) para sintomas da FM. Digo isso porque visitando uma rede social de portadores de fibromialgia, vi que muitos postaram sobre esse assunto, inclusive, dizendo-se adeptos dessa medicina alternativa e indicando a outros. Por favor, NÃO SE AUTO MEDIQUEM, converssem com seus médicos, especulem a vantagem ou não do uso de alternativos. A fibromialgia ainda é uma doença em estudo - ou seja - tudo é relativo. Portanto leiam com atenção...  (sei que é longo, mas vale a pena)
 
Fitoterapia
 
Do grego - Tratamento (therapeia) Vegetal (Phyton), ou ainda "A terapêutica das doenças através das plantas".  A fitoterapia, apesar de ser erroneamente considerada por muitos como uma terapia alternativa, não é uma especialidade médica e faz parte do arsenal terapêutico habitualmente utilizado. Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças. Ela surgiu independentemente na maioria dos povos. Na China, surgiu por volta de 3000 a.C. quando o imperador Cho-Chin-Kei descreveu as propriedades do Ginseng e da Cânfora.
 
Vantagens e riscos
 
Há uma grande quantidade de plantas medicinais, em todas as partes do mundo, utilizadas há milhares de anos para o tratamento de doenças, através de mecanismos na maioria das vezes desconhecidos. O estudo desses mecanismos e o isolamento do princípio ativo (a substância ou conjunto delas que é responsável pelos efeitos terapêuticos) da planta é uma das principais prioridades da farmacologia.Enquanto o princípio ativo não é isolado, as plantas medicinais são utilizadas de forma caseira, principalmente através de chás, ultradiluições, ou de forma industrializada, com extrato homogêneo da planta. Ao contrário da crença popular, o uso de plantas medicinais não é isento de risco. Além do princípio ativo terapêutico, a mesma planta pode conter outras substâncias tóxicas, a grande quantidade de substâncias diferentes pode induzir a reação alérgica, pode haver contaminação por agrotóxicos ou por metais pesados e interação com outras medicações, levando a danos à saúde e até predisposição a câncer. Além disso, todo princípio ativo terapêutico é benéfico dentro de um intervalo de quantidade - abaixo dessa quantidade, é inócuo e acima disso passa a ser tóxico. A variação de concentração do princípio ativo em chás pode ser muito grande, tornando praticamente impossível atingir a faixa terapêutica com segurança em algumas plantas aonde essa faixa é mais estreita. Na forma industrializada, o risco de contaminações pode ser reduzida através do controle de qualidade da matéria prima, mas mesmo assim a variação na concentração do princípio ativo em cápsulas pode variar até em 100%. Nas ultradiluições, como na homeopatia, aonde não há virtualmente o princípio ativo na apresentação final, não há nenhum desses riscos anteriores, mas a eficácia desse tratamento não foi comprovada cientificamente.À medida em que os princípios ativos, são descobertos, os mesmos são isolados, refinados de modo a eliminar agentes tóxicos e contaminações e as doses terapêutica e tóxica são bem estabelecidas, de modo a determinar de forma precisa a faixa terapêutica e as interações desse fármaco com os demais. No entanto, o isolamento e refino de princípios ativos também não é isento de riscos. Primeiro porque pretende substituir o conhecimento popular tradicional e livre, testado há milênios, por resultados provindos de algumas pesquisas analítico-científicas que muitas vezes são antagônicas. Segundo, porque a simples idéia de extrair princípios ativos despreza os muitos outros elementos existentes na planta que, em estado natural, mantêm suas exatas proporções. Assim sendo, o uso de fitoterápicos de laboratório poderia introduzir novos efeitos colaterais ou adversos inesperados, devidos à ausência de [sinergia|sinergismo] ou antagonismo parcial entre mais de um princípio ativo que apenas seriam encontrados na planta.
 
Fonte: pt.wikipedia.org
 
Usos e abusos da fitoterapia
 
Quando utilizados de maneira adequada, os fitoterápicos apresentam efeitos terapêuticos, às vezes, superiores aos dos medicamentos convencionais, com efeitos colaterais minimizados. Um exemplo é a valeriana (Valeriana officinalis) que vem sendo usada no tratamento de insônia e que, ao contrário dos medicamentos convencionais, não provoca dependência nem tolerância. No entanto, se ingerida em grandes quantidades e por tempo prolongado, ela pode ser tóxica para o fígado.A utilização inadequada dos fitoterápicos, como a automedicação, pode trazer uma série de efeitos colaterais. Entre os principais problemas causados por seu uso indiscriminado e prolongado estão as reações alérgicas, os efeitos tóxicos graves em vários órgãos e mesmo o desenvolvimento de certos tipos de câncer. Elisaldo Carlini, pesquisador da Unifesp, chama a atenção para a importância de educar a população, conscientizando-a sobre o uso adequado das plantas e medicamentos ditos naturais.
 
Créditos:
Reportagem: Célio Lopes Silva, Débora Colombi,Izabel Machado,Luciana Christante de Mello e Solange Celere. Colaborou: Patrícia Logullo 
 
 
Cuidado com os fitoterápicos
28 de junho de 2007
 
É necessário cautela na utilização de fitoterápicos.
A utilização inadequada de plantas, pode trazer uma série de efeitos colaterais.
Entre os principais problemas causados pelo uso indiscriminado e prolongado dos fitoterápicos estão as reações alérgicas, os efeitos tóxicos graves em vários órgãos e mesmo o desenvolvimento de certos tipos de câncer.Quando as pessoas compram plantas para uso medicinal não levam em consideração que algumas plantas são tóxicas e, quando ingeridas, prejudicam a saúde. Crenças populares de que as plantas não fazem mal, não é verdade como um todo.  Plantas como, por exemplo, a “comigo ninguém pode” é extremamente tóxica e pode matar.
Um exemplo de fitoterápico, que se deve tomar cuidado, é a Valeriana (Valeriana Officinalis) usada no tratamento de insônia. Esse fitoterápico, ao contrário dos medicamentos convencionais, não provoca dependência nem tolerância,  contudo se ingerido em excesso por um longo período pode ser tóxico para o fígado. A automedicação, relacionada a medicamentos fitoterápicos, é um grande problema, pois as pessoas desconhecem que a quantidade de princípios ativos contidos nas plantas pode variar de acordo com a idade da planta, a época da colheita, o tipo de solo, a parte utilizada e as condições de estocagem. Além disso, algumas plantas podem apresentar concentração elevada de metais como chumbo, zinco e alumínio, entre outros, cujos efeitos são prejudiciais à saúde.
 
Créditos:
Redação Bem de Saúde
 
 
Valeriana (Valeriana officinalis)
 
Descrição
Valeriana é uma planta perene, sendo bastante resistente a condições climáticas adversas, podendo atingir entre 1 e 1,5 metros de altura. Encontrada nativamente na Europa e região norte da Ásia, e regiões de clima temperado. Suas flores são pequenas e numerosas, de coloração branca ou rosada e roxa, que exalam forte aroma adocicado e peculiar. As partes utilizadas para fins terapêuticos são sua raíz e rizoma.
 
Indicações
A Valeriana é principalmente indicada para problemas de insônia, para melhoria da qualidade do sono.
Possui efeito tranquilizante, sedativo, relaxante, reduz a pressão sangüínea, combate problemas de ansiedade, estresse e palpitações cardíacas de origem nervosa. Estudos científicos comprovam a eficácia da Valeriana no tratamento da insônia e diminuição da ansiedade.
 
Créditos:
Pesquisa na internet (páginas web diversas)
 
 
Valeriana - Valeriana officinalis
 
Princípios Ativos: ésteres acéticos, fórmico, mucilagem, goma, resina, entre outros.
Azeite essencial (0,3-1%): ésteres terpênicos (isovalerianato, acetato e formiato de bornilo,
isovalerianato de eugenilo e isoeugenilo; monoterpenos (canfeno, pineno), sesquiterpenos (beta-cariofileno, valerenal, valeranona), ésteres epoxiiridoides (valepotriatos: valtrato (80%), isovaltrato, dihidrovaltrato). Acido gamma-aminobutírico (GABA), glutamina, arginina. Traços de alcalóides (0,05-0,1%).
Ação Farmacológica: Embora existam numerosos estudos farmacológicos e clínicos sobre o efeito sedante da raíz de valeriana, ainda não se conhecem bem os princípios ativos nem o seu modo de ação. Se atribue ao sinergismo entre o azeite essencial e os valepotriatos sua ação tranquilizante, hipnótica, espasmolítica, relaxante muscular, ligeramente hipotensora e anticonvulsivante.
Partes Usadas: rizoma e raiz.
Uso Popular:
ansiedade, insônia, irritabilidade, perturbações nervosa, stress, efeito semelhante ao da imipramina;
fadiga; taquicardia, hipertensão arterial;cefaléias;síndrome do intestino irritável, espasmos gastrointestinais, gastralgias, gases;mialgias, contraturas musculares;dismenorréia, transtornos associados ao climatério;
asma e broncoespasmos de origem nervoso;coadjuvante no tratamento das convulsões infantis e epilepsia;
atividade antiespasmódica;dermatoses pruriginosas;
Contra-indicações: Evitar o uso durante a gravidez, a lactação e em crianças menores de 3 anos.
 
Créditos:
 
 
Ansiedade
 
Valeriana: Uma erva tranquilizante segura e que não causa dependência cuja eficiência no tratamento de desordens da ansiedade já foi comprovada. A valeriana funciona especialmente bem em combinação com o maracujá. Ela pode causar sonolência.A valeriana é provavelmente o fitoterápico mais usado na Europa para a tensão nervosa, ansiedade e insônia.Na verdade, está presente em dúzias de formulações e chás.
Interessantemente, a valeriana é calmante e relaxante nos casos de tensão nervosa e ansiedade, enquanto que, ao mesmo tempo, melhora o estado de alerta e a concentração. É importante saber que o consumo excessivo de valeriana quando fatigado pode ter efeito estimulante.A valeriana parece ser o medicamento ideal para a família estressada moderna.
 
Créditos:
Prof. Dr. José de Felippe Junior
 
Até o próximo post
Bjs
 

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Mitos e Realidade (video)

Olá amig@s...

Mais um video com informações sobre a Fibromialgia.
Achei bem interessante e fácil de entender.
É mais um dos meus "garimpos virtuais", para manter este blog bem interessante pra quem visita e com informações para @s amig@os de fibra:


Entrevista com Dr. Roberto Heymann.
site:http://www.fibromialgia.com.br/novosite/
Apoio: Apsen : http://www.apsen.com.br/
Concepção Felipe Moretti : www.debatesaude.com.br
Direção Cesar Gananian: www.filmdesign.com.br


Espero que tenham gostado.
Até breve..
Bjs
Luisa

domingo, 19 de junho de 2011

Pesquisa mostra que fibromialgia é pouco conhecida até pelos médicos

Olá, pessoal...
Mais uma informação para todos: (os itens em vermelho são marcação minha)

12/05/2011 11h00 - Atualizado em 12/05/2011 11h00

Pesquisa mostra que fibromialgia é pouco conhecida até pelos médicos

Entre os pacientes ouvidos, 75,3% nunca tinham ouvido falar.
Dor crônica e generalizada é o principal sintoma da enfermidade.

Tadeu Meniconi Do G1, em São Paulo

A fibromialgia atinge cerca de 2,5% da população brasileira, mas permanece desconhecida para a maior parte da população. Numa pesquisa do Instituto Harris Interactive, encomendada pela Pfizer, no Brasil, no México e na Venezuela, 75,3% dos pacientes entrevistados nunca tinham ouvido falar da doença até que receberam o diagnóstico.
O principal sintoma é a dor generalizada – espalhada por todo o corpo – e crônica – sentida todos os dias por, pelo menos, três meses. Há 18 pontos no corpo, localizados em articulações e no pescoço, que são considerados cruciais; se, em 11 desses pontos, o paciente sentir dor quando for tocado, se caracteriza a fibromialgia. Distúrbios do sono, fadiga, ansiedade e depressão também são sintomas conhecidos.
A medicina não sabe ao certo o que causa o mal, mas sabe que é um problema neurológico, e não uma doença psicossomática. A dor existe de fato, não é fruto da imaginação. A fibromialgia uma disfunção no sistema de percepção à dor que aumenta a sensibilidade; quem tem sente mais dor que o normal. “O alarme de incêndio está disparado, só que não tem incêndio”, compara o reumatologista Eduardo Paiva, chefe do Ambulatório de Fibromialgia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
 
Números
Entre os médicos brasileiros ouvidos na pesquisa, 77% dos clínicos gerais e 84% dos considerados especialistas – reumatologistas, neurologistas, psiquiatras e especialistas em dor – disseram que a enfermidade não é muito conhecida, até mesmo dentro da própria categoria.
A preparação dos médicos é muito importante para o tratamento da fibromialgia, já que não existe um exame específico. O diagnóstico é clínico, ou seja, deve ser feito com base apenas na avaliação que o médico faz do paciente.
O desconhecimento de todas as partes atrapalha no diagnóstico. Os pacientes muitas vezes demoram a buscar ajuda. Dentre os participantes brasileiros da pesquisa que levaram mais de um mês para ir ao médico, 77% pensaram que os sintomas sumiriam sozinhos e 75% imaginaram que os controlariam. Em média, o diagnóstico só foi feito 4,7 anos após os primeiros sintomas, com 7,2 médicos consultados.
“Sem puxar a brasa para a minha sardinha, o reumatologista foi o médico que mais definiu a fibromialgia, então está mais acostumado”, argumenta Paiva. Segundo ele, o número de ortopedistas trabalhando no Brasil é dez vezes maior e, por isso, eles acabam recebendo os pacientes.
 
Tratamento
Não existe cura definitiva para a fibromialgia, mas ela pode ser controlada com medicamentos. “Uma coisa que a gente observa é que o paciente não pode ficar sem um programa de atividade física constante. Eu sempre brinco com meus pacientes e digo que fibromialgia não tira férias”, diz Paiva.
Muitas vezes, a atividade física é limitada pelas dores. Nesse caso, deve-se fazer o que for possível, sem exageros. Se o paciente só conseguir se exercitar por 15 minutos, ainda é melhor que ficar parado, então ele deve se exercitar. Os analgésicos ajudam no processo.
Há quem consiga controlar o mal sem tomar remédios, mas nem sempre isso é possível. Se for o caso, usá-los pelo resto da vida não chega a ser um problema. “Os pacientes têm muito medo de vício, mas as medicações que a gente usa não causam isso”, garante o especialista, que reforça: “dor crônica se trata cronicamente”.

Doença feminina
De 80% a 90% dos casos de fibromialgia são em mulheres, mas a medicina não sabe explicar por quê. “A presença do hormônio feminino não parece ser a mudança”, diz Paiva. Pesquisas mostram que a enfermidade costuma surgir entre os 30 e os 50 anos, e a menopausa não altera esses dados.
Segundo o especialista, mulheres são um pouco mais sensíveis à dor que os homens, mas isso não justificaria a diferença tão grande no número de diagnósticos.

Créditos:
Texto de Tadeu Meniconi Do G1, em São Paulo

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Postado por Dr. Gustavo Asmar em seu blog- http://ortopedia-asmar.blogspot.com

Olá amig@s e visitantes

Gostei muito deste blog... e resolvi divulgá-lo na íntegra dentro de um post meu, porque está bem fácil de entender  para aquelas pessoas que  estão iniciando neste convívio com a FM e também para outros visitantes que se interessam pelo assunto.

Agradeço ao Dr. Gustavo pelo apoio à nossa "causa"...

Em: quinta-feira, 2 de junho de 2011

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é caracterizada por dor músculo-esquelética generalizada acompanhada de fadiga, prejuízo do sono, problemas de humor e de memória. Acredita-se que esta condição amplifica as sensações dolorosas, afetando a maneira como o cérebro processa os sinais1 de dor. As mulheres são muito mais propensas a desenvolver a patologia que os homens.

Os sintomas começam às vezes após um trauma físico, cirurgia, infecção3 ou estresse psicológico. Em outros casos, surgem gradualmente e se acumulam ao longo do tempo sem ter um evento desencadeante.

Embora não haja cura, uma variedade de medicamentos pode ajudar a controlar os sintomas. Exercícios físicos regulares, técnicas de relaxamento e redução do estresse também podem colaborar.

Quais são os sintomas

A dor é descrita como constante e parece acometer todo o corpo. Há uma dor adicional quando exerce-se uma pressão firme em áreas específicas, os chamados “pontos sensíveis” ou “pontos fibromiálgicos”. São 18 pontos simétricos.

As localizações incluem:


1 - Região suboccipital (atrás da cabeça).
2 - Músculo trapézio (em cima do ombro e nas costas).
3 - Articulação Costocondral( segunda costela se insere no esterno).
4 - Joelhos (principalmente na parte de trás dos joelhos).
5 - Fêmur ( quadril e grande trocânter )
6 - Região glútea.
7 - Cotovelo.

Pacientes frequentemente acordam cansadas, apesar de terem dormido por longos períodos de tempo. O sono muitas vezes é interrompido pela dor e muitos apresentam outros distúrbios do sono, como a síndrome das pernas inquietas e a apneia do sono.

Muitos pacientes que têm fibromialgia também pode ter:

1 - Fadiga
2 - Ansiedade
3 - Depressão
4 - Endometriose
5 - Cefaléia Tensional
6 - Síndrome do intestino irritável
7 - Distúrbios da articulação temporomandibular (ATM)

Quais são as causas?

A causa ainda é desconhecida, mas provavelmente envolve uma variedade de fatores que trabalham juntos entre eles:
1 - Genéticos
2 - Transtorno de estresse pós-traumático tem sido associado à fibromialgia.

Por que as pessoas com fibromialgia sentem dor?

Existe atualmente uma teoria chamada de sensibilização central. Esta teoria afirma que pessoas com fibromialgia têm um limiar menor para dor por causa da sensibilidade aumentada no cérebro aos sinais1 de dor.

Os investigadores acreditam que haja um aumento anormal dos níveis de certas substâncias químicas (neurotransmissores) no cérebro responsáveis pelo sinal de dor. Além disso, os receptores cerebrais da dor parecem desenvolver uma espécie de memória e tornam-se mais sensíveis, ou seja, reagem mais aos sinais1 de dor.

Existem fatores de risco para a fibromialgia?

1 - Sexo feminino. As mulheres apresentam mais a doença do que os homens.
2 - História familiar. É mais provável que você desenvolva fibromialgia se tiver um parente já diagnosticado com esta condição.
3 - Fatores reumáticos. Se você tem uma doença reumática, tem um risco maior de ter fibromialgia

Qual complicação futura?

A fibromialgia geralmente não leva a outras condições ou doenças futuras. Mas a dor e as alterações do sono podem interferir na sua habilidade para o trabalho. A frustração de lidar com uma condição muitas vezes incompreendida também pode resultar em depressão e ansiedade.

Como é feito o diagnóstico10?

O diagnóstico é clínico baseado na história e exame físico.
No exame físico, o médico irá palpar os 18 pontos fibromiálgicos exercendo certa pressão no local.

Em 1990, o American College of Rheumatology (ACR) estabeleceu dois critérios para o diagnóstico10 da fibromialgia:

1 Dor generalizada com duração mínima de três meses.
2 Pelo menos 11 pontos fibromiálgicos positivos ao exame.
Não há nenhum teste de laboratório para confirmar o diagnóstico de fibromialgia, mas o médico pode precisar excluir outras condições que tenham sintomas semelhantes como doenças musculares, neurológicas e reumatológicas.

Existe tratamento?

Em geral, os tratamentos para a fibromialgia incluem medicação para reduzir a dor e melhorar o sono.
Podem ser usados analgésicos como o paracetamol e o tramadol, ou drogas antiinflamatórias não-esteroides
Às vezes são necessários antidepressivos

Existem outros cuidados que ajudam no tratamento?

Alguns cuidados são fundamentais para o tratamento da fibromialgia:

1 - Tratamento psicológico
2 - Hábitos diários saudáveis
3 - Atividade física orientada por um médico, como caminhada, ciclismo, dança, natação, hidroginástica, alongamento e musculação.
Exercícios de alongamento, melhora da postura (yoga, RPG, Pilates) e relaxamento também ajudam bastante.
4- Fazer algo que lhe dê prazer todos os dias.
5 - Acumpuntura e massagem ajudam muitos pacientes 
 
Créditos: 

Dr. Gustavo Asmar
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Ortopedista e Traumatologista, do Corpo de Saúde dos Bombeiros do Rio de Janeiro
Especialista em Cirurgia do Joelho e do Quadril
Twitter: @gustavo_asmar
Blog: http://ortopedia-asmar.blogspot.com/
 

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Quem sou?

Meu nome é Maria Luisa, tenho 47 anos, estou afastada do trabalho, onde exercia a função de auxiliar administrativo, sendo que minha profissão de formação técnica e de coração é Instrumentadora Cirúrgica, que já deixei a mais de 14 anos.
Tenho um filho de 20 anos que é meu ogrulho maior... fruto do meu primeiro casamento.
Atualmente tenho um companheiro maravilhoso e que  me da muita força e busca na internet tudo o que se relaciona com a FM para ter uma compreensão maior do que eu sinto e passo.
Minha família (mãe e irmãs) também me dão bastante apoio.
Sempre fui uma pessoa bem alegre, divertida, descontraída até Fibromialgia entrar na minha vida e me colocar pra baixo... me deprimir...
Tem um ditado que diz que amigos a gente conhece quando a necessidade aperta...
E é verdade! Senti na pele o que é ver as pessoas que se diziam "amigas" aos poucos desaparecerem....
Até posso entender, porque por um lado deve ser mesmo muito chato ter contato com uma pessoa que só sabe falar de doença e se queixar de dor.... mas, por outro lado... é uma realidade que não dá pra colocar de lado, e aí, a gente se vê cada vez mais isolada...
Eu comecei a viver uma outra realidade. Parece até que estou vivendo uma vida que não é minha.
Ao menos não é a vida que quero viver... com limitações, com angustias, depressão...
Eu atualmente não tenho muito pra dar...
Antes eu sempre buscava dar colinho a quem precisava...
Hoje não encontro muitos colinhos para mim....
Mas não tem problema não... sou feliz com as poucas pessoas que ficaram, porque ao menos sei que o colinho é sincero.

Até a próxima !!!

Porque surgiu este Blog...

Pra começar, eu não sou webdsigner, não tinha a menor noção de como começar a escrever um Blog...
Foi com muita paciencia e curiosidade que comecei a pesquisar aqui e ali... assistir muitas video-aulas no Youtube para saber como funciona um blog...
A ideia do Blog, surgiu de um conselho da minha psicóloga, para que eu escrevesse tudo o que estava sentindo.
As mágoas, as angustias, as decepções, a incompreensão, a ansiedade, enfim, falou que eu escrevesse tudo...
Daí pensei... porque escrever só para mim?
Afinal, assim como eu, tem tanta gente sofrendo as mesmas dores e os mesmos sentimentos... então resolvi dividir... e a internet aproxima as pessoas...
Aí,  precisava de um título... e pensando na Fibromialgia, como doença que ainda não tem cura e que me acompanharia pra sempre, achei que seria curioso considerá-la uma amiga...
Amiga inseparável !!
E assim surgiu este cantinho para mim e para todas as pessoas que como eu precisam colocar pra fora o sufoco de conviver com a FM.
Dedido este blog, primeiro a minha psicóloga, que me sugeriu escrever e depois a todas as pessoas que me visitam e deixam seus recadinhos... e aosque não deixam também... só a visita já vale!!
Tomara possamos ser muit@s a postar e trocar idéias, experiencias e principalmente, possamos apoiar-nos mutuamente... porque somente um@ FM consegue entender outr@ FM.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Temos que ficar de olho!!!!

Amig@s de Fibra,

Temos que prestar bastante atenção ao que acontece, nas novidades que aparecem e o que é veiculado sobre a FIBROMIALGIA.
Eu acompanho sites, associações, novidades, enfim, tudo o que acontece seja no Brasil, seja no exterior (somente os sites em espanhol - que é a única lingua que conheço além do portugues) e ainda não vi nada de cura para a FM.
Estive olhando o site http://www.fribromialgia.com.br/ e li sobre uma matéria que foi veiculada  em um programa de alcance nacional  sobre a "cura" para a FM, com os devidos comentários do Dr. Eduardo S. Paiva (ao qual parabenizo pelo esclarecimento ponderado e preciso) sobre o assunto.
Como portadora de FM, já recorri vários especialistas, ortipedistas, reumatologistas, clinicos da dor, fisioterapeutas, psicologos, reumatologistas e todos (eu disse TODOS) são unânimes em dizer que a FM ainda não tem cura.
Como que de repente aparece alguém que apresenta uma "cura" pela bagatela de cinco mil Reais e associa musculação para ficar curado em 3 meses?????????????
Quem tem FM sabe que é impossível fazer musculação (ainda que seja aconselhada) por conta das dores.
É difícil até mesmo fazer hidroterapia (eu fazia e desisti porque voltava pra casa cheia de dores).
A fisioterapia também doi muito... qualquer esforço físico doi bastante.
Que isso, minha gente???
E eu não vi esse programa!!!!! Nem sei em que emissora foi.... ahhhh se eu sobesse, ligava na hora que o programa estivesse sendo exibido.
E de onde surgiu essa coisa de que são micro-organismos os que causam a FM?
A FM, pelas pesquisas que faço, pelo meu interesse pelo assunto por ser portadora dessa síndrome, segundo me consta, está diretamente ligada ao SNC, com alteração dos neuro-trasmissores (dopamina e serotonina).
FIBRO (tecidos moles, tendões e ligamentos) MI (músculo) ALGIA (dor)
Traduzindo (ou juntando tudo) - dor que ataca tecidos, tendões e músculos.

Vamos ficar de olho...  senão daqui a pouco vai dizer que a gente precisa de diálise, transafusão, e coisas desse tipo...
Eu tô de olho... nas novidades e as discrepancias sobre a FM.
Conto com vocês !!!
Bjs

PS.: Se alguém souber em que canal isso foi veiculado, por favor me avise... terei prazer em dizer que tudo não passa de "balela"...




segunda-feira, 6 de junho de 2011

Frio....e Dor !!

Gente!!!  Que frio é esse???


Estou tentando não sentir frio. Estou tentando ficar trancada dentro de casa, sem sair para nada, só pra não sentir frio...
Lamentavelmente o frio é inimigo dos FM... Incrível, ,mas a dor parece que aumenta. E surgem dores em lugares que você não sentia antes.
Desde que essa onde de frio começou, as dores do calcanhar voltaram... e começou a doer onde não doía antes... meu dedão do pé direito está doendo tanto que parece que eu quebrei o dedo...
Também aumentaram as dores nas costas e ombros...
O pescoço já nem digo nada, porque essa dor me acompanha faça chuva, faça sol... mas piorou bastante. Nem deitada essa dor passa...
Que coisa horrível sentir dor...
Pensei que me acostumaria a viver assim, mas tem dias que não dá não !! Ultrapassa minha capacidade de sentir a dor... de suportar...
Sei que muit@s amig@s como eu, estão sofrendo por conta do frio...
E isso as vezes me deprime muito também... sei que não sou sozinha... mas gostaria muito de que não fossemos tantos a sofrer...
Fica aqui o desejo de que todos consigam superar estes dias frios... muito cobertor, muito chá quentinho, sopa quentinha e muitas compressas quentinhas também.
Vamos todos passar este inverno superaquecidos para que as dores não seja piores do que são.
Um enorme beijo quentinho no coração de cada amig@ de fibra...
E um pedido a quem não é de fibra mas que convive com um fibro: acreditem nas queixas... elas são reais... e as dores pioram muito no frio...
Nos precisamos de calor...físico e psicológico !!!

Até breve!!